19 de janeiro de 2012

Tímida? Eu?


Sim. Sempre fui uma garota tímida - isso é mais do que notável quando se convive comigo. Por mais que as fotos digam o contrário, saibam que a comunicação com o mundo, no início, não era nada fácil para mim.

Antigamente, vivia dentro de um cubículo que até eu mesma desconhecia. Minhas ações e reações, sempre muito limitadas, não demonstravam quem eu realmente era. Além disso, não revelavam o que eu sentia e nem o que pensava.Eu queria ser invisível, me esconder de tudo e de todos, me camuflar no meio da multidão. Odiava falar em público, meu nervosismo era tanto que eu sempre gaguejava e tremia quando tinha que fazê-lo. A timidez sempre me acompanhava de alguma forma, seja na escola, com os amigos, e até na minha própria casa. Eu era um mundinho fechado ambulante.

Demorou muito para que eu percebesse o poder que a timidez tinha sobre mim. E demorou ainda mais tempo para que eu conseguisse amenizar os seus efeitos, rejeitando-a da melhor maneira que eu podia. As aulas de canto e violão certamente me ajudaram, como também a evangelização, mas o fator decisivo para que eu vencesse minha inimiga foi o Espírito Santo. De repente, eu já não tinha tanto receio em me expor, e não era mais incômodo ser notada. Os meus medos de não conseguir superar as expectativas alheias se enfraqueceram, e estão a caminho de desaparecer para sempre.
Não foi uma mudança da noite para o dia. Foi preciso tempo, desafios, amadurecimento e, principalmente,. E é óbvio que a mudança ainda não chegou ao fim. Será preciso ainda mais desses elementos para que eu alcance sua plenitude. Enquanto esse dia não chega, me esforço ao máximo para alcançá-la o mais rápido possível.

Com esse simples testemunho não quero dizer que há algo de errado em ter um jeito tímido de ser. O problema é quando a timidez te impede de fazer o que precisa ser feito. É claro que não deixei de ter esse meu "jeitinho" pessoal de encarar as coisas, mas aprendi a ser mais comunicativa e espontânea. Aprendi a ser aquela pessoa que eu só era dentro de mim mesma.

Agora, amo fazer caras e bocas para tirar fotos (como podem ver), sou brincalhona, vivo abraçando as minhas amigas, converso com todo mundo - muito diferente de antigamente. Deus, aos poucos, foi me mostrando que eu deveria sair da minha zona de conforto se realmente quisesse ter uma vida que glorificasse o nome Dele. Resumindo: eu teria que abrir mão do meu desejo de ser invisível para que pudesse alcançar as outras pessoas. Ajudar terceiros a mudarem de vida através da minha própria mudança.

É como está escrito: "Acaso se traz uma lâmpada para colocá-la debaixo da cama? Não é para ser posta sobre o candelabro?" (Marcos 4:21). Deus está dizendo que não nos escolheu e nos capacitou com nossos talentos para ficarmos escondidos, mas sim para mostrarmos ao mundo quem nós somos e quem Ele é.

Se alguma coisa te impede de fazer o que precisa ser feito, deve ser arrancado desde já. Tudo o que vem de Deus não nos atrapalha, pelo contrário, nos impulsiona e encoraja. Logo, se algo não vem de Deus, então vem de quem? Você já sabe a resposta, e agora também sabe o que deve fazer. Deus é mais antigo e ainda maior do que qualquer problema.

Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.