14 de junho de 2012

Falar, falar e falar: Lista de coisas "pequenas" que fazem um estrago tremendo


Não exponho estes itens para que você, amigo(a) leitor(a), os abandone por questões de costume ou religiosidade. Mas sim para criar em você a consciência do estrago que eles podem fazer em sua vida - principalmente em sua condição diante de Deus.

1. Falar palavrão
Você pode pensar: "Mas eu faço tudo certinho, entreguei minha vida pra Jesus, sou isso, sou aquilo... Por que certas palavrinhas me prejudicariam tanto?".
É uma questão de senso. Se o palavrão já é uma coisa negativa diante dos homens, imagine diante de Deus! E se você for parar pra pensar bem sobre o significado de cada um deles, verá que eles não tem nada a ver com o nosso Senhor! E se não tem nada a ver com Deus, tem a ver com quem, então? [...] Você já sabe a resposta.

Sei que para quem já tem o costume será muito difícil. Afinal, hábitos - principalmente os de longo prazo - não são fáceis de serem mudados. Mas toda mudança positiva exige um esforço de nossa parte, isso, é claro, se estamos realmente dispostos a mudar.

Sei que existem horas em que ficamos irados, e queremos, de alguma forma, expressar o que estamos sentindo através de palavras. Mas não custa nada saber escolher outra forma de se expressar. E, se não conseguir, então fique calado! Será mil vezes melhor!

Eu me sinto bastante incomodada quando começo a conversar com uma pessoa que fala palavrão. É realmente bastante desagradável, e quem é da fé ou no mínimo tem boa compostura, sabe o que estou dizendo. Essas palavras realmente tem o poder maligno de perturbar e de deixar o ar pesado. Elas jamais devem estar em nosso vocabulário!

E muito mais do que palavrões que são soltos pelo ar, existe uma raiz que os alimenta. Afinal "[...] Porque a boca fala do que está cheio o coração." (Mateus 12:34). Imagine como está o coração de uma pessoa que vive pronunciando essas palavrinhas horríveis!

2. Falar mal dos outros
Todo mundo já está careca de saber disso, mas, ainda sim, vive caindo no mesmo erro. Todos nós sabemos que falar mal dos outros é algo reprovável, além de desagradar a Deus. Mas muitos são os que se rendem às tentações da língua e não pensam duas vezes antes de fazê-lo. Um "comentariozinho" aqui, outro "comentariozinho" ali... É a roupa de alguém, o tipo físico, um ponto fraco da outra pessoa, um erro que ela cometeu, uma conclusão precipitada... Esses comentários fazem mal não apenas às pessoas que estão sendo vítimas deles, mas principalmente dos que os semeiam por aí! Ainda que você aparentemente esteja dizendo a verdade, mas se não tem nada de bom pra falar de alguém, então fique calado! A pessoa cometeu um erro, mas nem por isso você precisa anunciá-lo aos quatro ventos, não é mesmo?

3. Falar da sua vida pra todo mundo
Esse é um erro que, embora não pareça muito grave, é extremamente mortal! Cá entre nós, você não precisa ficar contando tudo o que acontece com você pra todo mundo, os seus sonhos, seus planos para o futuro, coisas ruins, coisas boas... Se está precisando desabafar, procure a pessoa certa pra isso (quando digo a pessoa certa, digo aquela que não apenas poderá te ouvir, mas, além disso, te ajudar e aconselhar prudentemente)!

Nem todo mundo é bom como você imagina que é, então é melhor ficar antenado! Se você se abrir com todos, logo logo será vítima de fofoca e até de inveja!

Se precisamos tomar cuidado com o que dizemos sobre os outros, ainda mais com o que contamos sobre nós mesmos!

Não é porque uma pessoa perguntou algo sobre você, que você precisa responder necessariamente. Saiba dizer não também! Deixe sua vida particular permanecer particular! Tudo na vida tem um limite.

4. Falar sem deixar o outro falar também
É horrível participar de uma conversa quando você só ouve, ouve e ouve! Chega uma hora em que fica chato, não é mesmo? Então, deixe o outro expor seus pensamentos também. É até uma forma de você saber se a pessoa está interessada no assunto ou não. Às vezes, justamente por causa disso, você acaba falando algo que o outro não quer ouvir. Esses são os famosos chatos de galocha (sem ofensas, mas é pra abrir os seus olhos): querem despejar sobre os outros tudo o que está dentro deles, sem se importarem como as pessoas estão se sentindo com isso. Isso também pode se chamar egoísmo.

5. Falar tudo o que você deseja falar
Esse é semelhante ao de cima, mas eles se diferem em um aspecto. Às vezes, o que você deseja falar é bom e pode ajudar outras pessoas, mas isso não quer dizer que você deve chegar perto delas e simplesmente ir falando tudo. Espere por uma oportunidade para passar  o que você tem de bom dentro de você. Você pode até criar essa oportunidade - até porque não temos certeza de que ela surgirá por si mesma -, mas o importante é valorizar o que você tem de bom para falar. Sabe como? Falando apenas para aqueles que querem ouvir. Simplesmente assim! Afinal, o néscio proclama sua necedade em alta voz, enquanto os sábios se calam até encontrarem alguém que busca a sabedoria.

6. Falar sem pensar
Quantas situações embaraçosas se iniciam assim! Por isso, é extremamente importante calcularmos bem as nossas palavras antes de pronunciá-las - até porque, uma vez pronunciadas, elas não poderão ser apagadas. É claro que vez ou outra daremos nossos escorregões, afinal, não somos e nunca seremos perfeitos. Mas devemos ter essa consciência dentro de nós, sempre analisando se o que falaremos realmente é necessário ou não. Tudo que fazemos por impulso tem grandes chances de ser prejudicial para nós mesmos, daí a importância de raciocinar e pesar os benefícios e malefícios na balança.

7. Falar fora de hora
Eu mesma já fui prejudicada por outras pessoas que tentaram puxar conversa comigo fora de hora. Para tudo há o seu momento. Muitos são os que se tornam inconvenientes por não saberem a hora certa de falar, e estes acabam prejudicando outras pessoas por conta disso. Quando alguém está falando, se cale. Quando alguém está nervoso, deixe para falar depois. Quando alguém está ocupado, espere a próxima oportunidade. Não interrompa ninguém e não desvie a atenção do outro para si mesmo quando ele deveria direcioná-la a outra pessoa ou coisa.

As palavras têm um grande poder, tanto para edificação quanto para destruição. Saiba usá-las com sabedoria, saiba escolhê-las e banir as desnecessárias. Um dos pecados que mais cometemos são os relacionados à língua. Tome cuidado com ela! Você deve dominá-la, e não o contrário.

As palavras podem gerar discórdias e injustiças, podem separar as pessoas, destruir relacionamentos, fazer alguém ser chato e inconveniente, e até mesmo levantar falsas impressões sobre você mesmo.

Quem tem ouvidos para ouvir, ouça (e se cale enquanto estiver ouvindo).

Um comentário:

  1. Amei essas suas dicas! Parecem até bobinhas, mas se a gente parar para analisar, iremos perceber o quanto que essas manias "inofensivas" podem influenciar negativamente a nossa vida.
    Gostei muitooo.. Bjinhos, Na fé ^^

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.