6 de julho de 2015

Bonita ou comum?

Se você estivesse em um lugar público, e quisesse entrar em um determinado prédio que tivesse duas portas, uma com o escrito "bonita" e outra com o escrito "comum", por qual você passaria?

Recentemente, a Dove lançou mais uma campanha e fez com que mulheres de 5 cidades internacionais (São Francisco, Xangai, Deli, Londres e São Paulo) refletissem sobre sua própria beleza.


Assista o vídeo da campanha abaixo.


Por que algo tão simples parece tão desafiador, para a maioria das mulheres? Por que a maioria se considerou comum, e não bonita? Por que algumas tiveram que ser arrastadas pelas suas amigas ou familiares para a porta "bonita", e outras se arrependerem por terem passado pela "comum"?

De modo geral, podemos perceber que, quem passou pela porta "comum", chegou do outro lado se sentindo mais comum ainda, e quem passou pela porta "bonita", se sentiu mais bonita ainda. 

Dizem que as palavras têm poder - e eu concordo plenamente! - mas, em alguns casos, somos nós que damos poder a elas. Nessa situação provocada pela campanha, foi uma questão de escolha, e as mulheres poderiam decidir para qual palavra dariam poder. Infelizmente, a maioria fez uma escolha ruim, e a palavra "comum" ganhou ainda mais força em suas mentes e corações. Elas usaram o seu poder de escolha da forma errada, e transferiram suas forças para uma palavra que, até então, não poderia influenciá-las em nada. Somente a partir de então, a tal palavra pôde ter um peso em suas vidas.

Devemos prestar muita atenção a quais palavras estamos concedendo poder. Infelizmente, temos a estranha e perigosa mania de dar mais crédito à opinião de estranhos do que à opinião de pessoas que conhecemos. Costumamos nos inclinar para ouvir críticas e tapamos os ouvidos para ouvir elogios sinceros. Acreditamos quando dizem coisas ruins sobre nós, e rejeitamos as coisas boas que falam ao nosso respeito. Isso não é ser humilde, ao contrário do que muitos pensam. Isso é ser inseguro, é ter a mente pequena - pois, quem não consegue enxergar as próprias qualidades e vê apenas defeitos em si mesmo, realmente tem uma mente muito limitada.

Se esse tem sido o seu problema, comece a dar poder para as palavras certas. Alimente com doses generosas de fé palavras como bonita, confiante, inteligente, valiosa e capaz. Essas palavras vão usar a força que você deu a elas para lhe beneficiar, enquanto as opostas a essas - comum, insegura, ignorante, inferior e incapaz - usarão a força que você deu a elas para lhe prejudicar. Não é difícil perceber qual é a atitude mais inteligente a ser tomada.

Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.